C.Vale

Setembro
Amarelo

Quem coopera também
ama, cuida e acolhe!

C.Vale

SUICÍDIO É ASSUNTO SÉRIO!

Negligência e empatia

Ao mesmo tempo em que não podemos negligenciar quaisquer fatores que possam levar uma pessoa a tirar sua própria vida, precisamos esbanjar empatia, que é a capacidade de entender a situação de outra pessoa e auxiliar nos momentos difíceis.

Uma tragédia

O suicídio é uma tragédia anunciada. Cada suicídio é uma tragédia que afeta famílias, comunidades e países inteiros e tem efeitos duradouros sobre as pessoas deixadas para trás.

Em consequência disso, em campanha global, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e organizações parceiras pedem um aumento maciço nos investimentos em saúde mental, já que é uma das áreas mais negligenciadas da saúde pública. Os países gastam, em média, apenas 2% de seus orçamentos de saúde em saúde mental.

Como identificar

Não há uma ‘receita’ para detectar seguramente quando uma pessoa está vivenciando uma crise suicida, nem se tem algum tipo de tendência suicida. Entretanto, um indivíduo em sofrimento pode dar certos sinais, que devem chamar a atenção de seus familiares e amigos próximos, sobretudo se muitos desses sinais se manifestam ao mesmo tempo:

C.Vale
  1. O aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas.
  2. Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança.
  3. Expressão de ideias ou de intenções suicidas.
  4. Isolamento, entre outros fatores
C.Vale

Setembro Amarelo é o momento para desmistificar as doenças mentais, manter um diálogo aberto e combater o preconceito e discriminação.

A COISA É SÉRIA!

Em 2012, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já alertava: 800 mil pessoas tiram a própria vida anualmente. Em geral, são decisões motivadas por:

- Profunda angústia;
- Depressão;
- Tristeza;
- Desesperança;
- Estresse;
- Recorrentes exposições de humilhação.

Foi assim que o Setembro Amarelo ganhou cores, espalhando-se pelo país como uma medida coletiva de prevenção ao suicídio. Embora a depressão seja um dos principais fatores, muitas outras situações podem impulsionar a pessoa a esse ciclo depreciativo até optar pelo suicídio, como:

  • Distúrbios psicológicos além da depressão, como transtorno bipolar, estresse, esquizofrenia, ansiedade e estresse pós-traumático, entre outros;
  • Uso descontrolado de substâncias (como remédios controlados e drogas ilegais);
  • Isolamento (em decorrência de diferentes motivos, como a personalidade da pessoa.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos, uma pessoa morre por suicídio em algum lugar do nosso planeta.

Durante a Pandemia da COVID-19

Já era esperado que os atendimentos por casos de tentativa de suicídio aumentassem durante a pandemia da COVID-19, isso acontece pela incerteza do momento, solidão pelo isolamento social, estresse econômico e todos os aspectos negativos que estão influenciando em como as pessoas estão se sentindo nesse momento.

A Associação Brasileira de Psiquiatria elaborou uma cartilha sobre “Saúde Mental e COVID-19” com o objetivo de orientar a população sobre os riscos que este período pode trazer à saúde mental das pessoas.

"Todos afetados pelo distanciamento ou isolamento social, independentemente de seu estado de saúde, estão susceptíveis a relatar estresse em virtude de medo e da percepção de riscos múltiplos. As falhas de comunicação e as fakes news podem amplificar essa sensação. A separação dos entes queridos, a perda de liberdade para ir e vir, a incerteza sobre o status da doença e o tédio podem, ocasionalmente, criar efeitos psicológicos negativos que podem ser observados após meses ou até mesmo anos do término do período de quarentena.

Apoio Psicológico

O apoio psicológico ou psiquiátrico é de extrema importância nos casos de distúrbios mentais, depressão ou predisposição ao suicídio. Mais de 76 mil pessoas foram atendidas com diagnóstico de depressão no Paraná em 2019, de acordo com o Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB) – que tem como base a Atenção Primária em Saúde. Os diagnósticos de ansiedade no estado chegaram a 143.346.

Depressão é doença de difícil diagnóstico

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão é a doença mais incapacitante do mundo e a segunda principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos de idade. Mesmo assim, conforme a OMS, menos da metade dos diagnosticados está em tratamento.

C.Vale

COMO PROCURAR AJUDA

Quer conversar? Procure ajuda.
Ligue para o Ramal: 8230, fale com a Francielly, ou
Ligue para 188 – Centro de Valorização da Vida

C.Vale